Lost in the Skye - Capítulo 06: Wings

Capítulo betado pela Bia Ramos

ALGUMAS HORAS ANTES


“Alex,
Sairei por algumas horas, preciso ir até o posto de bombeiros. Sua porta está destrancada, sinta-se livre para tomar um ar fresco. Jamie não está em condições, sua ferida infeccionou, por isso: não vá até ele.
Volto logo, até mais.
S.”

[Antonie]

- Vamos fazer aquelas nossas perguntas para a garota. – Disse enquanto me sentava na cadeira em frente à Skye. – O procedimento precisa ser rápido, o mercado está pedindo. – completou firme, passando as mãos em meus cabelos, que insistiam em cair sobre meu rosto. Senti os olhos arderem, pela falta de descanso. Sob um bocejo longo, dei de ombros, avaliando as feições de Skye.
- Marco foi um estúpido. – Ela disse raivosa. Agora Skye andava de um lado para o outro.
A impressão que eu tinha era que o piso de madeira iria ceder a qualquer momento e todos nós seríamos engolidos por uma cratera gigantesca. Não que já não estivéssemos por baixo da terra e devidamente soterrados. As nossas vidas, as nossas escolhas fizeram isso conosco. Era como se as nuvens pesassem sobre os ombros, é como se tudo fosse um amontoado de obscuridades. Levantei meu olhar para a ruiva, que me observava profundamente. Ela tinha esse poder sobre mim e acredito que sobre qualquer homem nesse mundo.
- Ele se deixou levar pela sonsa e quase a deixou escapar! Isso é inadmissível. É a segunda vez que quase nos faz perder dinheiro. – Disse novamente, caminhando para perto de mim e sentando-se em meu colo.
- Você sabe o que deve fazer. – calmamente beijei-lhe o ombro. – Só acredito que antes precisamos dar um jeito de coletar o material, para que não seja tarde. Depois cuidamos dele e dos nossos hóspedes. – completei com suavidade.
Eu era genuinamente mal, não nego. Mas tinha uma necessidade doentia e diabólica de cuidar da Skye. Tão frágil, mas tão forte ao mesmo tempo. Não sei o que seria de mim e do nosso negócio se não fosse esse contraste dela. Skye sabia escolher nossos hóspedes, sabia como tratá-los, como persuadi-los a nos dar o que queremos.
- Você está certo. Você sempre está não é, Tony? – ela sorriu com leveza – Agora vamos conversar com a garota. – Levantou-se do meu colo e caminhou, atravessando a pequena porta de madeira.

**

Caminharam até o porão, onde se encontrava o pequeno corpo fraco de Jennifer. Marco estava encostado na porta, vigiando a garota. A missão dele falhara e se sentia culpado. Deixou se levar pelos sentimentos e quase estragou tudo. Sabia que já havia pisado na bola outras vezes e temia o que Antonie e Skye fosse fazer com ele. O assoalho rangeu delicadamente. Marco pode ouvir os sons de passos vindo em sua direção. Os risos abafados, que denunciavam o moreno e a ruiva, já eram perceptíveis e audíveis.
- Cuidou bem da fujona? – Antonie disse irônico, dando um tapa nas costas de Marco, que sentiu seu corpo enrijecer e ficar na defensiva.
Skye passou por eles, ignorando-os. O loiro ficou olhando-a entrar no cômodo tomado pela escuridão. Tony a seguiu, acendendo a luz fraca do recinto. Marco entrou por último, fechando a porta e encostando-se à parede, no lado oposto a Jennifer.
Skye se posicionou em frente à garota. Agachada para ficar na mesma altura que ela, concedeu um sorriso tipicamente traiçoeiro. Jennifer tinha raiva e fúria em seus olhos, cansada pelo esforço que fez para tentar fugir de Marco há pouco. Sabia que, uma vez dentro da cabana e com Skye, não teria saída. Desejou não ter vindo passar as férias naquele lugar, desejou ter ouvido sua mãe dizendo que ela deveria ir para o Brasil ou qualquer país da América do Sul, desejou nunca ter nascido. As lágrimas escorriam violentamente por sua face, Skye observava com um sorriso sínico e com o olhar atento em cada fragmento de lágrima que percorria a bochecha de Jennifer. Antonie estava ao lado da ruiva, e olhava tão atento quanto ela. Desviou seu olhar para Marco, que se encontrava quieto e amuado no canto do cômodo. Jennifer olhou por uma última vez e voltou a encarar Skye, que prontamente tirou a mordaça da boca da garota.
- Vamos colaborar? – A ruiva disse a Jennifer, que arqueou a sobrancelha confusa. – Olha, meu anjo, eu sei que você deve estar sentindo muita raiva e frustração no momento – Skye disse novamente e acariciou os cabelos suados e oleosos da morena a sua frente. – Mas fique sossegada, tudo isso vai acabar muito rápido. – Jennifer mordeu os lábios na tentativa falha de não choramingar. Queria ser forte pelo menos nos minutos finais de sua vida. – Porém, eu preciso te perguntar uma coisa. Uma coisa que vem me perturbando e tirando minhas noites de sono. – Skye sorriu novamente. – Quando estava na casa de Edward, você ouviu alguma coisa suspeita? – A ruiva perguntou.
Antonie corrigiu sua própria postura, ficando atento a resposta da garota. Marco, por sua vez, apenas respirou fundo.
- O que eu vou ganhar te respondendo isso? – Jennifer perguntou corajosa e Skye torceu os lábios.
Antonie riu de leve, assim como Marco.
- Então quer dizer que você sabe de alguma coisa. Como eu suspeitava. – Skye riu e respirou pesadamente. Sentia seu corpo protestar, estava deveras cansada. Os últimos dias haviam sido intensos. Jennifer deu de ombros e continuou a encarar Skye. – Eu não posso te dar muito, você se encontra perfeita para retirarmos o que precisamos, mas talvez eu possa te liberar depois da nossa coleta.  – A ruiva disse e Antonie protestou.
- Skye... O que você está... – Skye lhe lançou um olhar reprovador e Antonie a fitou intensamente, confuso.
Jennifer engoliu um seco e abriu os lábios machucados. A atenção era para a morena, do corpo frágil e encolhido no canto do porão. Jennifer pensou rápido, sabia que ela poderia jogar e ganhar, mas agiria com cautela.
- Edward sempre conversava com alguns homens. Um em especial, que tinha a voz mais rouca e grossa, era o que mais frequentava aquela casa. – Jennifer respirou, reunindo forças para continuar falando. – Edward falava sobre dinheiro e praticamente estava montando um esquema para contrabandear o que era coletado... – Skye semicerrou os olhos e todos na sala já podiam sentir a tensão no ar. – Minha audição não está muito boa, devido aos tratamentos que recebia lá, mas eu te garanto que eles planejam alguma coisa. Um esquema grande, porque ouvi algo sobre a Austrália e China. – A morena disse, suspirando derrotada pelo cansaço e dores.
Skye fechou os olhos por alguns segundos, armazenando em sua memória as palavras da garota.

**

Após deixar o porão, o trio caminhou até o quarto de Skye e se trancaram lá dentro. Antonie encostou-se a escrivaninha que a ruiva tinha. Já Marco sentou-se na cama ao lado da jovem. Os três estavam pensativos, absorvendo todas as palavras de Jennifer. O silêncio não era incômodo, mas tenso. Ficaram ali, por longos minutos, até sentirem os dedos formigarem pela falta de circulação do sangue.
- Marco...
O loiro desviou o olhar e dispersou seus devaneios ao ouvir a voz suave de Skye. Ele depositou uma mão no joelho da ruiva e fez um carinho simples. Antonie ficou atento, sua postura mudava constantemente quando Marco e Skye estavam juntos. A batalha pelo coração da jovem deveria ficar de lado no momento, mas Tony sabia que precisava tirar Marco da jogada o quanto antes. Não aguentava mais o ego do loiro, não aguentava mais seus serviços prestados oficiais e extras oficiais para Skye. Simplesmente não suportava não ser o primeiro dela. Grunhiu baixo e voltou à atenção para os dois.
– O homem que me visitou aquela noite, é o homem que visita Edward. Eu tenho certeza. – Skye disse enquanto apertava suas mãos umas nas outras.
Marco a olhou preocupado e torceu seus lábios finos, demonstrando pensar na possibilidade de que ela estivesse certa.
- Pode ser. Mas também Jennifer pode estar blefando. Ela é astuta. – Disse o loiro, olhando fixamente para os olhos grandes de Skye. – Vamos agir com cautela.  – Marco disse novamente, voltando a acariciar o joelho da ruiva.
- Agir com cautela? – Antonie se exaltou. – Se eu bem me lembro, você quase deixou seu projeto de puta fugir! – Ele gritou. – Você não sabe nem mais o que fazer e fica querendo ditar as regras aqui? – Tony se aproximou de Marco, que levantou na mesma hora, encarando raivosamente o mesmo. – Você acha que só porque é o comandante de bombeiros e esconde sua podridão atrás desse rostinho bonito, pode sair por aí exibindo seus dotes, como um pavão? Você não passa de um merda, Marco. Estou cansado de você! – Antonie gritou e empurrou o loiro.
Skye levantou-se bruscamente, mas não dava a atenção necessária para a pseudobriga. Ela sabia que aquilo era disputa de território, que no caso, era ela. Apesar de amar Marco incondicionalmente, sua incompetência a irritava. Amava Antonie também, mas não como Marco. O moreno era frio, calculista e pensava apenas no próprio bem. Não que ela e o loiro fossem diferentes, mas ela sentia-se mais acolhida quando estava nos braços de Marco.
- Por que você não cala a porra da sua boca? – Marco revidou, dando um soco no nariz de Antonie, que cambaleou para trás. O sangue logo chegou à suas papilas gustativas, o gosto metálico terrivelmente perceptível. Se recuperando, Tony foi para cima de Marco, acertando-lhe um soco no estômago. O loiro se contraiu, mas a raiva era maior e partindo para cima de Tony, acertou-lhe outro soco na face.
Skye sentou-se novamente a beirada da cama e ficou ali, apenas olhando a fatídica briga.

**

[Jamie]

Acordei com um barulho estranho. Levantei-me e fui até a parede, da onde eu deduzia que vinha o barulho. Encostei-me ali e tentei apurar minha audição. Pude ouvir várias vozes, que podiam ser dos dois homens que andavam com a ruiva.
As vozes estavam exaltadas, e não ouvia nada além de palavras grosseiras e sem nexo. Tentei apurar minha audição mais ainda, uma tentativa falha, visto que as madeiras da cabana eram deveras grossas.
Continuava a sentir dores nas pernas e abdômen, mas a minha cabeça era a que mais me preocupava. Não tinha o raciocínio rápido e uma morosidade me dominava muitas vezes durante o dia. Sempre que alguém entrava ou saia daquela casa, eu podia ouvir, mas nunca nítido o suficiente para eu ter noção de quem era ou o que estavam fazendo.
Os dias passam e eu sinto mais medo de onde estou e dessas pessoas. Elas não são boazinhas, porque se fossem, com certeza eu estaria em um hospital ou pelo menos não trancariam a porta do meu quarto. Eu desejava ansiosamente para que aquela tortura acabasse logo e eu pudesse, enfim, ir para casa. Como será que Kate está? E os outros? Meus pais devem estar malucos.
Fui despertado com um barulho muito forte na parede e me afastei bruscamente.
Ao ouvir passos no corredor, corri da maneira que podia para a cama. Deitei e fingi que estava cochilando, até a porta ser aberta.
- Você está acordado?
Ouvi um sussurro e entreabri os olhos por pura curiosidade, mesmo meus instintos me dizendo que eu devia fingir que não havia ouvido. Reconheci a figura parada em minha porta, que logo em seguida olhou para os lados com as sobrancelhas arqueadas e entrou no meu quarto, sorrateiramente.
– Você precisa fugir. – Ele disse baixo, mas foi o suficiente para que eu ouvisse. – Pega suas coisas e dê o fora daqui! – Ele esbravejou e veio em minha direção.
Não estava entendendo nada. Ele não era um dos comandantes de tudo aquilo? Seria algum teste?
- Por que está me dizendo isso? – Perguntei receoso e o loiro respirou fundo.
- Você corre perigo. – Disse novamente entre os dentes.

Trailer de Lost in the Skye:


N/A: Estamos em mais um final de LITS. O que acharam meninas? As coisas começam a se revelar... Agradeço a todas que comentaram no capítulo passado, fiquei super feliz. Beijos. <3 font="">




8 comentários:

  1. Raphaela L. Siqueira21/02/2015 00:48

    Coleta? Contrabando? Dinheiro? O que esse três fazem MEU DEUS?
    Já posso dizer que eu meio que estou ficando com raiva da Skye? Estou achando que esse negócio de "liberar a Jennifer depois da coleta" é pura mentira dela.
    E o Marco? Será o único bonzinho no meio desses três?
    E o que vai acontecer com nossos meninos???
    QUANTAS PERGUNTAS SEM RESPOSTA!!! =/
    Já tô roendo as unhas de ansiedade enquanto espero pelo próximo capítulo.
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, Rapha, contrabando, dinheiro, coleta... O que será que é? Haha.
      A Skye é 8 ou 80. Terá momentos em que você vai amá-la, mas muitas vezes você irá querer matá-la. Mas uma coisa é certa, não confie muito na Skye. Marco foi visivelmente manipulado e, apesar de ser da mesma laia, ele tem um pouco de bom senso e sabe o limite. O próximo capítulo vai esclarecer sua pergunta sobre os meninas haha

      Obrigada por comentar Rapha, beijo!!

      Excluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. HAHAHAHA EU SEI O QUE ELES FAZEM LALALALALA
    Ok, parei.
    Mais uma vez o capítulo ta impecável, sua escrita é maravilhosa Anne, e tenho certeza de que se eu não tivesse algumas respostas estaria me REMOENDO pra entender o que caralhos ta acontecendo. Você é talentosíssima com as palavras! <3
    Agora eu to em dúvida, Marco ta parecendo muito bonzinho! Ou talvez ele estivesse com raiva da Skye porque ela tivesse ido cuidar do Tony depois da briga e resolveu fazer isso pra irritá-la (teorias de fãs). To morrendo de medo pelos meninos D: Quero próximo capítulo!!!!
    Beijos, Bea <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No próximo capítulo todos saberão HAHAHHAHAHHA já escrevi o 7 e sei bem como vocês vão surtar.
      Marco... ele é um fantoche da Skye e a briga foi o ápice. Ele vai dar muito trabalho, mas não duvido dessa ''bondade'' repentina dele haha.

      Obrigada pelos elogios Bea, <3

      Excluir
  4. Ai, que inveja da Bea que sabe o que eles são, fazem, sei lá! hahaha
    Para mim é o maior prazer betar a sua fanfic, porque além da escrita ser ótima, a história é realmente instigante. Até a próxima atualização, Anne <3
    Beijões x

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Bia linda, haha ela não sabe tanta coisa assim..... rsrs Muito obrigada pelos elogios, sua opinião é muito importante pra mim. ♥

      Excluir
  5. Meu, eu consigo imaginar a cara da safada da Skye assistindo a briga, quero chutar a cara dessa mulher. Ela nunca me enganou, desde o começo eu alimento a ideia de que ela possui uma doença mental. Mais um capítulo instigante e cheio de segredos. To amando!!!


    Beijos, Steph <3

    ResponderExcluir

Não precisa estar logado em lugar nenhum para comentar, basta selecionar a opção "NOME/URL" e postar somente com seu nome!


Se você leu o capitulo e gostou, comente para que as autoras atualizem a fic ainda mais rápido! Nos sentimos extremamente impulsionadas a escrever quando recebemos um comentário pertinente. Críticas construtivas, sugestões e elogios são sempre bem vindos! :)